página inicial   |    quem somos   |    como pesquisar   |    anuncie   |    fale conosco
     Agenda:      Feiras    /    Cursos Presenciais    /    Eventos                                                                                     Receba o Viaseg News
PESQUISA RÁPIDA:
produto ou serviço:


EPIs - Negligências de protocolos anticovid na Saúde e Agricultura do RS são investigadas pelo MPT e Justiça do Trabalho


22/03/21

 Inquérito e ação civil pública apuram a sonegação de EPIs e de álcool em gel, além da falta de higienização de salas e equipamentos que expuseram servidores ao contágio durante a pandemia

 
O Ministério Público do Trabalho (MPT) abriu inquérito civil para apurar as condições de trabalho dos servidores das secretarias da Agricultura (Seapdr) e Saúde (SES) do Rio Grande do Sul durante a pandemia. A investigação partiu de denúncias formalizadas pelo Sindicato dos Servidores de Nível Superior do RS (Sintergs). No caso da Seapdr, o MPT considerou insuficientes as ações adotadas pela pasta e ajuizou uma ação civil pública que está em andamento na 18ª Vara do Trabalho de Porto Alegre.
 
“Infelizmente foi necessário acionar o MPT devido ao descumprimento das normas de prevenção à covid-19 e ao descaso com a saúde dos trabalhadores destas pastas, que vêm atuando presencialmente durante toda a pandemia. O mais contraditório é que as secretarias desrespeitaram a legislação do próprio governo do estado”, ressalta Angela Antunes, diretora do Sintergs.
 
As denúncias foram feitas a partir de informações de associados sobre a ausência de protocolos de saúde e descumprimento da legislação estadual.
 
Na Seapdr, os relatos eram sobre a indisponibilidade de álcool e gel, de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e falta de higienização adequada das salas e equipamentos, tanto na sede em Porto Alegre quanto nas inspetorias de defesa agropecuária, no interior.
 
Na SES, os servidores reportaram os mesmos problemas relatados na Seapdr, e também a falta de testagem regular dos servidores no Hemocentro, no Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS) e no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen).
 
Em ambos os casos, o MPT solicitou providências para as secretarias. Algumas das exigências foram atendidas, como a compra de EPI, álcool em gel e adoção de protocolos mais rígidos, conforme constam nos inquéritos. As denúncias foram formalizadas em meados do ano passado.
 


Fonte: Extra Classe


Envie essa notícia para um Amigo


Seu Nome:

Seu E-mail:

Nome do Amigo:

E-mail do Amigo:

Mensagem:




Pesquisar Cursos







     Agenda:      Feiras    /    Cursos Presenciais    /    Eventos                                                                                     Receba o Viaseg News


Área do Anunciante                     Maquinas Industriais   /   Br Domínio Hospedagem de Sites   /