página inicial   |    quem somos   |    como pesquisar   |    anuncie   |    fale conosco
     Agenda:      Feiras    /    Cursos Presenciais    /    Eventos                                                                                     Receba o Viaseg News
PESQUISA RÁPIDA:
produto ou serviço:


Assistência - Pacientes aguardam em corredor de hospital de Marília por cirurgias ortopédicas após máquina quebrar


23/01/19

 Hospital das Clínicas informou que alugaram novo equipamento e estão agendando as cirurgias, dando prioridade aos casos mais graves.

 
Pacientes do Hospital das Clínicas de Marília (SP) esperam internados por cirurgia há mais de um mês depois que o único aparelho usado para auxiliar os médicos nas cirurgias ortopédicas quebrou em dezembro e ainda não foi consertado. As macas estão espalhadas por todos os cantos.
 
Em um vídeo enviado à TV TEM é possível ver que o corredor do principal hospital foi transformado em leitos. As macas estão uma atrás das outras. Pacientes passam dia e noite no local onde recebem medicação e até tomam soro.
 
Na sala de internação, outros leitos foram improvisados com as macas, que tomam conta de todo espaço. Não há lugar para mais ninguém. Até as cadeiras de medicação viraram encosto para os acompanhantes.
 
O arco cirúrgico, como é conhecido, é um equipamento que reproduz imagens em tempo real e auxilia o médico nas cirurgias. O hospital informou em nota que solicitou as peças de reposição para o conserto, mas que ainda não chegaram.
 
Enquanto isso, a dona de casa Franciele Alves Gomes acompanha o marido, que está internado desde o dia onze de janeiro. “Foi um acidente de trabalho, o muro caiu em cima dele. Está meio moído a perna dele, mas só colocaram uma tala e ele está esperando cirurgia", reclama.
 
O pedreiro Antônio Gomes estava na recepção do hospital na cadeira de rodas. Pela janela, falou da agonia de ficar nessa situação. "Estou farto, cansado, não aguento mais. Eu e muita gente. Os enfermeiros fazem o que podem, só que infelizmente eles não dão suporte para isso. Muita gente quer ir embora, quer cuidar da família, a situação está difícil aqui", conta.
 
A namorada do pintor Cristiano Takechita passou o Natal e o Ano Novo dentro do hospital com o fêmur quebrado. Ela foi internada no dia 23 de dezembro e até hoje não conseguiu a cirurgia.
 
"A gente está esperando a cirurgia e eles vêm falando que não tem previsão, que é pra aguardar, que é pra esperar", reclama.
 
No começo de janeiro, o hospital informou que já havia pedido as peças para o conserto, que deveria ser feito até o dia 10 de janeiro. Mas com a demora na entrega, eles informaram que alugaram o equipamento, que chegou na última quarta-feira (16). Eles ainda disseram que estão agendando as cirurgias, dando prioridade aos casos mais graves. O hospital não informou quantas pessoas aguardam na fila para a cirurgia.
 
O hospital disse que a superlotação foi ocasionada pela quebra do equipamento. Mas em novembro do ano passado, o Ministério Público abriu uma investigação para apurar as denúncias de superlotação na área de pronto-atendimento.
 
O Hospital das Clínicas é referência para uma população estimada em 1,2 milhão habitantes, de 62 cidades da região. Em maio de 2017, a área da enfermaria foi ampliada para atender os pacientes e custou ao estado aproximadamente R$ 6 milhões. A promessa era acabar com a superlotação.


Fonte: G1 - Bauru e Marília


Envie essa notícia para um Amigo


Seu Nome:

Seu E-mail:

Nome do Amigo:

E-mail do Amigo:

Mensagem:




Pesquisar Cursos













     Agenda:      Feiras    /    Cursos Presenciais    /    Eventos                                                                                     Receba o Viaseg News


Área do Anunciante                     Maquinas Industriais   /   Br Domínio Hospedagem de Sites   /