página inicial   |    quem somos   |    como pesquisar   |    anuncie   |    fale conosco
     Agenda:      Feiras    /    Cursos Presenciais    /    Eventos                                                                                     Receba o Viaseg News
PESQUISA RÁPIDA:
produto ou serviço:


SST - TRT pede providências para risco de acidente radiológico em Natal


05/11/18

O Tribunal Regional do Trabalho pediu que sejam tomadas providências urgentes para evitar possível acidente radiológico em Natal. O caso guarda semelhanças com o maior caso de contaminação por Césio-137 já ocorrido no mundo, em Goiânia (GO), no ano de 1987.
 
O despacho foi encaminhado à empresa Sicredi Natal, hoje responsável pelo prédio do Hospital Papi, que está fechado desde 2016, quando paralisou suas atividades. Ocorre que o prédio foi lacrado com tudo dentro, incluindo equipamentos e remédios.
 
Na quarta-feira (24), um oficial de justiça foi vistoriar o prédio e fez duas descobertas que o deixaram assustado. A primeira é que o lugar vem sendo visitado por moradores de rua, que conseguem entrar pelos fundos do imóvel, por um terreno baldio.
 
A segunda descoberta, essa mais grave, foi que o aparelho de raio-x, que permanece no local, apresenta sinais de tentativa de violação. Foi exatamente assim que o acidente em Goiânia começou: dois jovens que coletavam material reciclado encontraram um aparelho do tipo e violaram o cilindro que continha o césio. O caso aconteceu em setembro de 1987.
 
Em Natal, foi pedido que diante da situação a empresa responsável tome providências com relação ao risco existente no local.
 
Além disso, o juiz responsável determinou que o caso fosse informado à Comissão Nacional de Energia Nuclear. O prédio do Papi fica numa região central de Natal, na avenida Afonso Pena, onde há muitos imóveis residenciais. O imóvel é avaliado em R$ 16 milhões.
 
Sicredi afirma que remoção do equipamento já deveria ter ocorrido
A instituição financeira Sicredi Natal, que tomou posse do imóvel em maio de 2017, informou que todos os bens dos representantes do hospital deveriam ter sido retirados antes disso.
 
E que mesmo dano mais tempo para a retirada dos equipamentos, isso não ocorreu. A Sicredi acionou a Justiça do Trabalho para que a remoção fosse feita para o depósito judicial e que jamais obteve a propriedade do raio-x.
 
Além disso, em nota, a Sicredi informou que com relação ao vandalismo houve comunicação ao Judiciário e às autoridades policiais.  E reiterou que por mais de uma vez solicitou a retirada do equipamento de raio-x. E que “se coloca à disposição para a imediata retirada e/ou destinação de quaisquer bens abandonados no interior do imóvel de sua propriedade”.
 
Acidente com Césio em Goiânia matou quatro pessoas
O episódio de contaminação por césio-137 ocorrido em Goiânia é considerado o maior acidente radiológico do mundo envolvendo material hospitalar. O maior acidente radioativo de toda história foi o de Chernobyl, hoje Ucrânia, em 1986.
 
Em Goiânia, 112.800 pessoas foram monitoradas; 271 contaminadas; 28 sofreram danos causados pela substância e 20 foram hospitalizadas. Dessas, 14 foram internadas em estado grave e quatro delas morreram. O acidente causou ainda danos na medula óssea em quatro pessoas e oito sofreram envenenamento por radiação.
 
Todo material contaminado gerou 6 mil toneladas de lixo (roupas, utensílios, materiais de construção, entre outros). Tudo isso foi colocado em 1.200 caixas, 2.900 tambores e 14 contêineres, revestidos com concreto e aço. O material foi guardado num depósito construído na cidade de Abadia de Goiás, onde deve permanecer por 600 anos. 


Fonte: OP9


Envie essa notícia para um Amigo


Seu Nome:

Seu E-mail:

Nome do Amigo:

E-mail do Amigo:

Mensagem:




Pesquisar Cursos













     Agenda:      Feiras    /    Cursos Presenciais    /    Eventos                                                                                     Receba o Viaseg News


Área do Anunciante                     Maquinas Industriais   /   Br Domínio Hospedagem de Sites   /