página inicial   |    quem somos   |    como pesquisar   |    anuncie   |    fale conosco
     Agenda:      Feiras    /    Cursos Presenciais    /    Eventos                                                                                     Receba o Viaseg News
PESQUISA RÁPIDA:
produto ou serviço:


Trabalho Infantil - Denúncias de trabalho infantil são registradas pelo Disque 100


02/02/18

Diante da vulnerabilidade das crianças e adolescentes durante o Carnaval, quando multidões tomam as ruas para se divertir, aumento a demanda por mão-de-obra, a Superintendência Regional do Ministério do Trabalho no Rio de Janeiro vai reforçar a fiscalização para combater o trabalho infantil na maior festa do País. A cidade deve receber 1,5 milhão de turistas, por isso o cuidado deve ser redobrado também para coibir a exploração sexual.

Até os 13 anos de idade, é proibido empregar os jovens. Ao atingirem os 14 anos, podem ser contratados como aprendizes. Entre 16 e 18 anos podem exercer atividades remuneradas durante o dia. Fora dessas condições, o trabalho é ilegal, sobretudo quando envolvem atividades forçadas.
 
E no Carnaval?
 
Nas festas de Carnaval, as crianças e jovens costumam ser usadas no comércio de bebidas alcóolicas ou flanelinhas, o que é proibido. Em 2015, dados da Organização Não-Governamental Observatório da Infância apontam que 2,6 milhões de jovens entre 5 e 17 anos estavam ocupadas, o que corresponde a 5% da população nessa faixa etária.
 
Riscos
 
O trabalho infantil prejudica a garantia de direitos a essa população, já que assim o aprendizado desses jovens é comprometido. Uma pesquisa da Tendências Consultoria aferiu que a 40% dos jovens deixam a escola quando exercem jornadas de mais de 36 horas semanais. Elas também ficam expostas à violência, abusos, acidentes e esforço físico extenuante.
 
Combate
 
Entre as ações para coibir essa prática durante o Carnaval fluminense, a Superintendência do Trabalho conscientizou vendedores ambulantes quanto aos direitos das crianças e as violações. A fiscalização ainda fará o mesmo trabalho junto à Liga dos Blocos de Rua, que concentram o maior número de casos de irregularidades.
 
Denúncias
 
Quem testemunhar crianças em semáforos, comércios, fábricas devem denunciar a prática pelo telefone do Disque 100, da Secretaria Nacional de Direitos Humanos. Só em 2016, mais de 13 mil denúncias foram registradas pela Ouvidoria durante o Carnaval em todo o País.


Fonte: mixvale.com.br


Envie essa notícia para um Amigo


Seu Nome:

Seu E-mail:

Nome do Amigo:

E-mail do Amigo:

Mensagem:




Pesquisar Cursos













     Agenda:      Feiras    /    Cursos Presenciais    /    Eventos                                                                                     Receba o Viaseg News


Área do Anunciante                     Maquinas Industriais   /   Br Domínio Hospedagem de Sites   /